10 de julho de 2014

A falácia do bronze "saudável"

Confesso que todos os Verões fico um tanto doente com a histeria colectiva e acéfala do bronze perfeito. Aquela idiotice tipicamente mediterrânica em que a cultura de massas se sobrepõe sobejamente à inteligência em que se tentam artifícios para convencer que: "podemos-nos bronzear de forma saudável".

Ora vamos começar por esclarecer, como é que nos bronzeamos e porque? É que, acreditem em mim, não se trata de uma questão estética (se o nosso corpo fosse regido pela estética jamais haveria necessidade de depilação) mas sim um situação de alerta vermelho da nossa pele.

O acto da pele escurecer com a exposição solar (vulgo bronzear) é uma reacção do corpo que produz melanina (pigmento escuro), que reduz a quantidade de raios UV que consegue penetrar na pele e nas células, protegendo assim o nosso ADN. Sim, porque os raios UV tem a possibilidade de alterar o ADN o que pode resultar em "erros genéticos" e assim de forma simplista, em cancro.

O bronze é progressivo e cumulativo, sendo que se expuserem ao sol durante uma manhã, a pele continuará a escurecer, pois as células não conseguem libertar a melanina de uma vez só. O acto de apanhar um "escaldão" (e sim, é possivel passar verões sem escaldões) nada mais é do que exposição excessiva ao sol em que a camada superior da pele cozinha, pois a melanina produzida não é suficiente para absorver e neutralizar os raios UV, dando lugar a um processo inflamatório em que as células "queimadas" morrem e a pele queimada começa a cair.

Como podem perceber, não existe tal coisa como "bronze saudável". O facto de usar protector solar é uma enorme benesse pois protege a pele, deflectindo os raios de sol, ou anulando-os, minimizando a quantidade de melanina necessária - mas não transforma o acto de bronzear em algo saudável. E não, o nível de protecção em nada contribui para a durabilidade da mesma, tal como um airbag não evita acidentes de carro.

7 comentários:

  1. "Um airbag não evita acidentes de carro", ah brilhante! É mesmo isso. Uma coisa é usar a protecção adequada e mesmo assim ficar com uma corzinha por acção natural. Outra bem diferente é cozinhar ao sol... olha que eu faço imensa praia mas mesmo em pequena apanhava pouco sol e então na cara quase nada, não sou mesmo capaz (até me descem as tensões).

    ResponderEliminar
  2. Toda a gente fica admirada cmg pq me besunto smp com protetor solar, e varias vezes...tenho a pele clara, nao tanto como tu, mas acabo smp por ficar com uma corzinha. E cada vez penso mais que as coisas sao tal e qual como disseste "a cultura de massas se sobrepõe sobejamente à inteligência". Até me dá um aperto no coração quando vejo muidas e mulheres a banharem se em oleos e estenderem se ao sol, querem é bronzear para mostrar que se foi de férias lol enfim, tenho passar às minhas amigas a ideia que mencionaste, e so mesmo passando a mensagem assim, porque até na publicidade ao protetores solares as modelos aparecem super bronzeadas lol

    ResponderEliminar
  3. Arrepiei-me com a parte "a camada superior da pele cozinha". lol
    Uso sempre protector, não estou na praia estatelada a torrar ao sol e insisto o mais possível com o meu namorado para fazer o mesmo, apesar de ele não gostar nada. Usa mesmo porque quase o obrigo...
    E partilho da mesma opinião da Wiwi. Muitas das minhas amigas não só não usam protector como ainda se besuntam com óleos porque aparentemente acelera o bronzeado (ou queimaduras) e toca a ficar ao sol o dia todo.
    Confesso que gosto de ter um tom bronzeado, mas pôr em causa a saúde por isso, não vale a pena. O que me safa são os autobronzeadores, porque mesmo quando vou à praia/piscina, tento proteger-me o mais possível.

    ResponderEliminar
  4. Liliana


    tal como tu eu prefiro auto bronzeadores apenas para não reflectir o sol. Fico tão feliz por ter feedback das minhas seguidoras que são pessoas responsáveis e percebem as consequências do sol e do chamado "bronze fashion"

    ResponderEliminar
  5. Agora que falas nisso, sim, é um contra senso as marcas de protectores usarem modelos escurissimas! mas percebo a parvoíce porque as pessoas gostam de ter um aspecto bronzeado e tem medo de usar o protector e não se bronzearem

    ResponderEliminar
  6. As pessoas confundem ir à praia com tostar na praia e acham (como li recentemente) que um protector 50 dura e protege mais tempo que um spf 10. Acho que na realidade não há esclarecimento sobre o que leva a pele a escurecer e pouca consciência que a pele é o nosso maior orgão.
    A do airbag foi a coisa que me ocorreu para ilustrar a estupidez de "se usar protector não apanho um escaldão, mesmo que passe 8h a torrar"

    ResponderEliminar
  7. Vou enviar o link para este post a uma série de pessoas que acham que eu sou maluquinha...
    (Sou ainda mais branca do que a Pindérica parece ser nas fotografias - sim, é possível - e para além disso tenho uma fotodermatose. Mesmo com protector solar factor 50 aplicado e reaplicado várias vezes, só vou à praia antes das 10h ou depois das 18h. E mesmo assim há anos em que fico um bocadinho menos branca...)

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião aqui!

Notas

Aqui escreve-se ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Contacto: pinderiquicespindericas@gmail.com

© Pindérica, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena