5 de maio de 2013

No Drought - Cabeleira Fresca e Limpa!

Eu sou uma fã assumidíssima de champô seco,  venha quem vier, digam o que disserem o champô seco durante muito tempo foi a minha salvação face à minha dermatite seborreica que acabava por me deixar o cabelo com um ar sujo e super oleoso no dia seguinte a ser lavado.

O meu preferido era o champô seco da sephora, porque a aplicação batia aos pontos qualquer tresémé e porque o comprava nos saldos por 3€. No entanto tinha um enorme defeito, ao fim de dois meses não havia champo seco para ninguém se o utilizasse tão frequentemente como desejava.
Assim, em dezembro resolvi apostar num novo champô seco, o no drought da Lush, foi a minha prenda de aniversário de mim para mim, e após estes meses posso vos dar uma opinião concreta sobre ele.

Nome: No Drought
Embalagem: Garrafa de plástico com 115 gr.
Preço:10€


Então e como funciona o champô seco? Basicamente aplica-se o produto na raiz do cabelo e o intuito dele é absorver a oleosidade ali presente por forma a dar ao cabelo e volume e um aspecto mais limpo.
O problema dos maus champôs secos é que deixa uma sensação pastosa no couro cabeludo, o que os torna um produto alvo de opiniões extremamente controversas. 

Esta absorção de sebo (=gordura) é feita através do amido (que pode ser de milho, arroz, etc.) sendo que este possibilita também o volume extra. A estes é adicionado algum tipo de aroma, ou até cor para reduzir a visibilidade dos resíduos que possam ficar no couro cabeludo. E aqui tocamos num ponto sensível  os resíduos, grande parte das pessoas com cabelo escuro notam que quando usam champô seco as raízes ficam com um ar "empoeirado". Eu não noto, mas o meu cabelo é relativamente claro.


O aplicador neste champô está longe de ser o ideal. É necessária alguma pratica para conseguir um bom equilibro entre a quantidade que sai da garrafa e aquela que realmente precisamos (que é menos do que pensam). Os champôs em spray são bem mais práticos, mas têm muito menos produto e por isso acabam rápido.

A textura é um pó leve, aplico nas raízes do cabelo, trabalho com as pontas dos dedos até o branco desaparecer e depois escovo o cabelo ou passo com o secador, dependendo da textura que quero dar ao cabelo. O cheiro deste champô é fresco e cítrico, muito discreto, depois de aplicado não volto a sentir o cheiro.

Resumindo, é um optimo produto que tenho imenso gosto em usar, e que vão durar uma eternidade! Basta guardar num local seco. Qual a vossa relação com os champôs secos?!? Algum favorito?

3 comentários:

  1. Batiste, sem dúvida. Se bem que às vezes acontece isso que dizes, aspeto poeirento nas raízes, tenho que esfregar mesmo muito bem. Esse é capaz de render mais, realmente. Mas é mais difícil de aplicar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Batiste em portugal tem um preço salgadinho para a quantidade mas tenho curiosidade em experimentar, é o preferido de muita gente!
      Este rende imenso! tenho shampo para pelo menos 2 anos...

      Eliminar

Deixa a tua opinião aqui!

Notas

Aqui escreve-se ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Contacto: pinderiquicespindericas@gmail.com

© Pindérica, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena