24 de outubro de 2012

Ser mãe de uma Pindérica …Nos devaneios da Cor!

Há coisas que realmente me surpreendem, como a carga genética pode influenciar tanto cada um de nós. Isto para vos dizer que a Pindérica, na minha opinião, tem uma carga genética fortíssima. 

Eu sempre gostei imenso de pintar e de tudo que fosse ligado às artes, pinto e faço bijuteria com diversos materiais, peças que eu tento que primem pela diferença. Em casa sempre houve uma panóplia de matérias diversos, entre os quais, muitas tintas. 

Com apenas dois anos, sim leram bem dois anos, ainda com um ar muito angelical, a Pindérica fez a sua primeira grande incursão no mundo da cor, o seu fascínio pela cor já era notório. Não, não pintava a parede do quarto, nem o livro de colorir, a pimpolha pintava-se a ela própria. 

Uma das vezes, e mais uma vez na ausência de qualquer adulto, abriu a gaveta do fascínio, isto é dizer, a gaveta dos meus materiais, destapou uma das minhas cores, a amarela, bebeu o conteúdo. O resultado foi desastroso: uma noite de internamento no Hospital de Santa Maria no SO Pediátrico para a Pindérica e uma noite em claro para os papás numa angústia desmesurada. 

Na manhã seguinte, quando fomos busca-la, estava sentada na maca numa grande cavaqueira com o pessoal médico e de enfermagem, como se nada se tivesse passado.

2 comentários:

  1. Está tudo explicado!
    Começou bem cedo o fascínio!!!
    Kiss

    ResponderEliminar
  2. lol lol a minha mãe tb tem imensas histórias para contar!! quando era miúda, eu era terrível! lol lol

    bjo**

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião aqui!

Notas

Aqui escreve-se ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Contacto: pinderiquicespindericas@gmail.com

© Pindérica, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena